Manutenção preditiva e preventiva: Quando realizar cada uma na indústria?

A manutenção no âmbito industrial é algo imprescindível e que colabora para evitar acidentes e demais problemas operacionais. Entender quais os tipos de manutenção, assim como manutenção preditiva e preventiva, é fundamental para saber identificá-las e escolher qual é a mais indicada para cada caso. Saiba mais sobre ambas neste post!

Por que não é adequado realizar somente a manutenção corretiva?

Em suma, além da manutenção preditiva e preventiva, existe também a manutenção corretiva. Entretanto, a manutenção corretiva acontece a partir do momento em que ocorre algum prejuízo em algum maquinário do processo produtivo.

Mesmo que não se trate de uma manutenção programada, em alguns casos muitas empresas preferem planejá-la mediante a realização da manutenção preditiva. Porém, um dos tipos de manutenção que menos se aconselha, é a manutenção corretiva.

É óbvio que acidentes podem acontecer e algum maquinário estragar e atrapalhar a produtividade do dia. Porém, de qualquer maneira é preciso ter em mente que a manutenção corretiva pode ter um gasto extremamente alto, diferente da manutenção preditiva e preventiva, que visa se antecipar e é mais em conta.

Manutenção preventiva

Após entender o porquê não é indicado realizar uma manutenção corretiva sem determinado planejamento, entender os benefícios da manutenção preditiva e preventiva é fundamental. Iniciamos então pela manutenção preventiva que se caracteriza por ser um conjunto de estratégias que visam ser devidamente planejadas e alinhadas juntamente às realizações da manutenção, como:

  • Criar um cronograma de manutenções; 
  • Trocar peças consideradas arriscadas;
  • Planejar recursos; 
  • Entre outras.

Tais características se apresentam com o mesmo objetivo: impedir problemas. Dessa maneira, fica mais fácil aumentar o desempenho das máquinas e garantir que os equipamentos estejam funcionando de maneira adequada.

Além disso, independente de serem problemas em equipamentos, peças individuais de máquinas ou mesmo setores industriais no geral, a manutenção preventiva é apta para isso. Logo, é correto afirmar que ao contrário da manutenção que corrige, ou seja, a manutenção corretiva, a preventiva é sempre planejada e realizada em intervalos de tempo estratégicos.

De quanto em quanto tempo realizar a manutenção preventiva?

Como dito anteriormente a manutenção preventiva é caracterizada por ser um tipo de manutenção planejada e que se realiza em intervalos de tempo devidamente combinados. Ou seja, ela é realizada a partir de um cronograma de acordo com a utilização dos equipamentos.

Isso pode depender do quanto eles são utilizados, mas, no geral, em torno de uma vez por mês muitos gestores solicitam a manutenção preventiva. Afinal, além de ser um custo que se paga apenas uma vez (quando ocorre a prevenção), também colabora para um desempenho mais contínuo de máquinas e demais equipamentos.

Quais os maiores benefícios da manutenção preventiva?

Entendendo o que é a manutenção preventiva e como ela atua, se torna mais fácil perceber todos os benefícios que ela agrega para quem as realiza. Ainda assim, ter visão mais ampla e objetiva de quais eles são, pode colaborar de grande forma para que eles sejam devidamente observados. São eles:

  • Redução de envelhecimento precoce do equipamento;
  • Garantia de melhor estado operacional;
  • Prevenção de problemas;
  • Aumento da vida útil.

Como se trata de uma manutenção programada, os benefícios acima citados surgem conforme a utilização dos aparelhos e frequência das manutenções.

Manutenção preditiva

A manutenção preditiva e preventiva possuem características bem semelhantes. Na manutenção preditiva, o que é levado realmente em consideração, são as condições reais do funcionamento das máquinas.

É comum que a manutenção preditiva seja confundida com a preventiva, mas elas possuem esse pequeno ponto diferente entre si. Dessa maneira, é correto afirmar que a manutenção preditiva se baseia em uma inspeção sistemática, bem como na observância das possíveis modificações de parâmetros e desempenho.

Além disso, a manutenção preditiva não precisa de, necessariamente, um cronograma e uma estratégia para que ela ocorra. Ou seja, como ela analisa as condições reais do funcionamento do equipamento que necessita da manutenção, ela não precisa fazer o uso de cronograma e menos ainda índices.

Qual a principal diferença entre manutenção preditiva e preventiva?

De maneira muito simples para garantir o entendimento descomplicado e claro, a diferença entre ambas é:

  • Manutenção preventiva: possui cronograma e visa prevenir que estragos ocorram.
  • Manutenção preditiva: identifica problemas no funcionamento da máquina e assim deduz se é necessário ou não contratar a manutenção corretiva.

Como saber qual a melhor para o meu caso?

Estabelecer qual a melhor forma de realizar a manutenção das máquinas, exige que seja feito primeiramente um diagnóstico e uma análise em relação à estrutura, necessidade e realidade de cada empresa em particular.

Afinal, a rotina de cada ambiente profissional pode influenciar de maneira clara e direta no tipo de manutenção necessária. Em suma, indica-se que, independente do tamanho da empresa, a única manutenção que deve ser evitada sem planejamento (ou seja, sem o diagnóstico da manutenção da preditiva), é a corretiva. 

De qualquer forma, indica-se a manutenção preventiva para as empresas que possuem uma demanda muito grande de produto e que exigem maquinários altamente eficazes para manter o ritmo. Já a preditiva, indica-se nas empresas onde não há um fluxo tão grande de pedidos. Ainda assim, o mais correto é aliar as duas.

Plano de manutenção

Antes de mais nada, é muito importante se planejar e analisar as condições financeiras da empresa. Afinal, cada corporação possui uma realidade em particular. Algumas, mesmo com a grande quantidade de pedidos, não conseguem se organizar para manter em dia a saúde dos seus maquinários.

Em contrapartida, outras empresas possuem uma demanda muito menor de pedidos e ainda assim conseguem separar um capital para realizar as manutenções e manter a empresa em perfeita produção, funcionamento e tranquilidade.

Por isso, se possível, entender qual o momento atual da empresa, bem como o momento atual que a máquina se encontra, é muito importante para saber qual tipo de manutenção contratar e, mais ainda, quanto separar de capital por mês.

Analisando o desempenho

Para ter certeza de que a manutenção está surtindo o efeito desejado, indica-se realizar um levantamento de desempenho. Ou seja, é preciso analisar como a máquina era antes da manutenção e como ela ficou depois da manutenção.

Dessa forma, é possível ter uma ideia mais próxima se a manutenção escolhida foi a correta e também se é possível continuar com o cronograma desejado de manutenções. Ainda assim, entendendo a diferença entre a manutenção preditiva e preventiva, tudo fica mais fácil.

Gostou do assunto e deseja receber os melhores conteúdos relacionados? Clique aqui e assine nossa Newsletter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *