O que é a manufatura enxuta e quais seus benefícios?

Desenvolvida pela Toyota após a Segunda Guerra Mundial, a manufatura enxuta, também conhecida como Lean Manufacturing, contribuiu para a transformação das empresas através da criação de um novo conceito de produção.

A filosofia central desse sistema é reduzir os sete tipos de desperdícios, até então bastante comuns nas empresas que trabalham com produção em série ou em linha. São eles:

  • Superprodução;
  • Tempo de espera;
  • Transporte;
  • Excesso de processamento;
  • Inventário de estoque;
  • Movimento nas operações;
  • Defeitos e retrabalho.

Nesse sentido, quando se elimina esses desperdícios, o tempo e o custo de produção diminuem, aumentando a qualidade do produto. Além disso, por consequência, a empresa eleva também a sua competitividade no segmento em que atua.

Resumidamente, a manufatura enxuta que foi desenvolvida pelo executivo da Toyota, Taiichi Ohno, é amparada por cinco pilares fundamentais, sendo eles: valor, fluxo de valor, fluxo contínuo, produção puxada (just in time) e perfeição.

Para entender um pouco mais profundamente a manufatura enxuta e os benefícios que ela traz à empresa, vamos explanar um pouco mais sobre cada um desses pilares, mostrando a importância de todos eles na agregação de valor para o cliente.

Valor sob a ótica do cliente

Sempre quando compramos um determinado produto, buscamos algum tipo de valor nele. Entretanto, nem sempre o valor que procuramos é o que a empresa julga ser o essencial para o produto.

Desse modo, muitas empresas acabam perdendo o cliente por não saber agregar o verdadeiro valor que o mesmo busca em cada produto.

No entanto, com a implantação da manufatura enxuta, o valor agregado ao produto é justamente aquele determinado pelo cliente. Dessa maneira, eliminam-se desperdícios em processos que não trazem esse valor para o produto.

Levando tudo isso em consideração, o valor é o ponto de partida do Lean Thinking, que significa mentalidade enxuta. Seu objetivo é eliminar atividades desnecessárias, preservando e aumentando tarefas que realmente agregam valor para o cliente.

Fluxo de Valor: Alinhamento das atividades que geram valor

Fluxo de valor é o conjunto das atividades básicas necessárias para a produção de um determinado produto.

Inclui-se nesse fluxo de valor todo o fluxo de produção, assim como o próprio fluxo do projeto quando a empresa lança um produto no mercado.

Dessa forma, os gestores da empresa conseguem enxergar de maneira mais clara todo o fluxo de processos, entendendo melhor a manufatura enxuta na prática. Para isso, é fundamental mapear o fluxo de valor.

É por meio desse mapeamento que a empresa consegue visualizar os processos como um conjunto e não de forma isolada, além de identificar as fontes de desperdício no fluxo de valor.

O mapeamento também colabora para uma tomada de decisão mais acertada, mostrando de forma clara a ligação entre o fluxo de informação e o fluxo de material.

Fluxo contínuo sem interrupção das atividades

O terceiro pilar da manufatura enxuta é o fluxo contínuo, que colabora para a redução do tempo de espera entre as atividades, bem como para a diminuição do nível de estoque, evitando desperdícios.

Através do fluxo contínuo há uma drástica redução na fila de espera, permitindo que a empresa passe a produzir de acordo com o volume e com o ritmo da demanda.

Sendo assim, o fluxo contínuo colabora para a redução das etapas, de tempo e de todo o esforço desnecessário despendido em um processo produtivo.

Produção puxada em substituição a produção empurrada

A produção empurrada, ou produção em série como também é conhecida, era bastante utilizada no início do século XX. Existem, no entanto, empresas que utilizam esse sistema até hoje.

Nele, a empresa cria uma expectativa de venda e começa o processo produtivo. Uma das suas desvantagens é que muitas vezes o valor agregado ao produto não condiz com o valor buscado pelo cliente.

Além disso, em caso de um recesso econômico o estoque crescerá bruscamente, acarretando ineficiência financeira, o que trará uma minimização do lucro da empresa como consequência.

Na produção puxada, por sua vez, isso não ocorre, pois o processo produtivo começa com a entrada do pedido dentro da empresa. Nesse sentido, o fluxo é inverso e vai puxando toda a produção até a compra da matéria prima.

Portanto, nesse modelo há uma eliminação de desperdícios de produção bem como o corte de estoques ociosos. Com isso, o capital da empresa alcança uma rentabilidade muito maior.

Perfeição através da melhoria contínua

O último pilar do sistema de manufatura enxuta é a perfeição que deverá ser alcançada através do processo de melhoria contínua.

Isso porque, quando a produção trabalha em sentido contrário, ou seja, no sentido puxado, identificar as falhas e os desperdícios produtivos se torna algo mais fácil e, assim, é possível aplicar um processo de melhoria contínua.

Uma filosofia também criada no Japão após a Segunda Guerra Mundial, pelo engenheiro Kaoru Ishikawa, foi peça fundamental para colaborar nesta etapa: o programa 5 S.

Esse programa consiste em 5 palavras japonesas que têm como princípio colaborar para a melhoria contínua. São elas:

  • Seiri – Seleção e descarte (Utilidade);
  • Seiton – Boa disposição e ordenação (Ordem);
  • Seiso – Limpeza e inspeção diária (Zelo);
  • Seiketsu – Cuidados com a saúde física, mental e emocional (Higiene);
  • Shitsuke – Manter os resultados obtidos por meio da repetição (Disciplina).

Nesse sentido, através da aplicação do método 5 S a empresa consegue atingir a perfeição que é o quinto pilar base da manufatura enxuta.

Benefícios da manufatura enxuta

Como deu para perceber ao longo do conteúdo, a manufatura enxuta traz diversos benefícios para a empresa, sendo que o principal entre todos eles é a eliminação dos desperdícios.

Com essa eliminação, a empresa consegue melhorar todo o seu processo produtivo, amparada nos cinco pilares do método e, dessa maneira, reduzir custos desnecessários, garantindo a maximização do lucro líquido.

Com isso, é possível ganhar competitividade mercadológica, conseguindo inclusive preços melhores para os consumidores finais, o que consequentemente gera mais satisfação dos clientes e aumento na receita da organização.

Apesar de ser um conceito já bastante difundido entre os profissionais de engenharia de produção e administração de empresas, a produção enxuta ainda está começando a ser incorporada pelas empresas brasileiras que estão buscando aumentar a sua competitividade no cenário internacional.

Gostou deste artigo? Compartilhe em suas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *